Compartilhando conhecimento.

Marcadores

Theme Support

Unordered List

Recent Posts

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Como é realizado teste de carga em uma estaca

Imagem: Prova de carga estática [2]

O título é genérico da presente publicação, mas será abordado prova de carga estática, que é um ensaio para verificação do desempenho da estaca, sendo que o objetivo em avaliar o desempenho, é confirmar o comportamento previsto em projeto com o comportamento in loco
Quem estuda a disciplina de fundações sabe que não é uma disciplina exata, a Norma NBR 6122/2010 ratifica isso descrevendo que “... a engenharia de fundações não é uma ciência exata e que riscos são inerentes a toda e qualquer atividade que envolva fenômenos ou materiais da natureza.” Não entraremos no assunto da quantidade necessária de ensaios previstos em Norma, será exposto de forma breve o método executivo do ensaio. 
A prova de carga estática consiste, basicamente, em aplicar esforços estáticos crescentes à estaca e registrar os deslocamentos correspondentes. Os esforços aplicados podem ser axiais de tração, compressão ou transversais. O elemento de fundação ensaiado pode ser uma sapata, um bloco, uma estaca ou conjunto de estacas associadas de qualquer tipo, ou ainda um tubulão. Abaixo pode-se visualizar a ilustração do ensaio. 
Imagem: Instrumentação típica utilizada para estudo da transferência de carga [1]

A metodologia normatizada no Brasil para as provas de carga estáticas, sejam elas destinadas a estudar fundações diretas ou profundas, são semelhantes. São dividas em parcelas ou estágios de carregamentos sucessivos, que devem permanecer atuando durante algum tempo. Cada estágio de carga é mantido até que o controle dos recalques correspondentes indique a estabilização, ou seja, suas variações se tornem muito pequenas ou nulas. [1]
Caso não ocorra ruptura ou deformação excessiva que impeça o adequado prosseguimento do ensaio, o carregamento deve atingir o dobro da carga admissível ou de trabalho provável, para ensaios executados no início da obra. Décourt (1994) afirma, que como a carga de ruptura física raramente é atingida, procura-se conviver com a ruptura convencional, que corresponde a uma deformação da ordem de 10% do diâmetro de fundação circular ou do lado de uma fundação quadrada. [1]
As cargas são aplicadas geralmente por macaco hidráulico calibrado, centradas em relação ao eixo da fundação e sem provocar vibrações e choques durante o carregamento.  [1]
Quanto ao tipo de montagem são diversos, sendo que deverá ser adequado à direção, ao sentido e à intensidade das cargas, para permitir o apoio do macaco hidráulico ou célula de carga.  

Imagem: Prova de carga estática [2]

A viga de reação pode ser mantida na posição devido ao peso de um caixão ou uma plataforma carregada, pode ser fixada na extremidade de ancoragens solidarizadas ao terreno, conforme figura abaixo. 
Imagem: Sistema de viga de reação com tirante. [4]

Imagem: [4]


Direitos Autorais:
Copyright © Aldo Werle. Todos os direitos reservados.
Você pode copiar e redistribuir este material contanto que não o altere de nenhuma forma, que o conteúdo permaneça completo e inclua esta nota de direito e o link: www.aldowerle.blogspot.com


Fontes: 
[1] HACHICH, Waldemar. et al. Fundações teoria e prática. 2.ed. São Paulo: Pini, 1998.
[2] Civil Work. Página do Facebook. Acessado em: 19 junho de 2017.
[3] ABNT NBR 6122/2010
[4] http://www.dcc.ufpr.br/


0 comentários :

Postar um comentário

Os comentários estão sujeitos à aprovação.