Compartilhando conhecimento.

Marcadores

Theme Support

Unordered List

Recent Posts

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Engenharia & Gramática - Substantivo II

A publicação anterior apresentou a definição e a classificação dos substantivos, cabe realizar uma observação quanto à classificação, pois autores como, por exemplo, Bechara classifica os substantivos de forma distinta da que geralmente é encontrada em livros para concurso, ou livros do ensino médio, sendo que, optou-se em apresentar o mais convencional sem se aprofundar em demais classificações que dificilmente serão exigidas em concurso ou demais provas. Dando continuidade aos substantivos, vamos estudar flexão do substantivo.

Flexão do Substantivo

A palavra flexão vem do latim flexione, que significa para o estudo linguístico, variação das desinências nas palavras declináveis e conjugáveis. Para fazer um paralelo com a engenharia, flexão significa um esforço físico onde a deformação ocorre perpendicularmente ao eixo do corpo, paralelamente à força atuante. Tanto para engenharia quanto para a gramática flexão é uma alteração ou mudança, sendo que, um substantivo pode se alterar o gênero, o número e o grau da palavra. 
Note que foi sublinhado no parágrafo anterior a palavra  desinência, pela sua importância no entendimento da flexão do substantivo, pois desinência é o elemento morfológico que indica gênero, número, pessoa, modo e tempo.



Quem não entender sobre flexão de viga, ignore as figuras acima e observe apenas o texto.
Segundo Bechara, em geral, a constituição interna do substantivo é a combinação do signo lexical, expresso pelo radical com signos morfológicos expressos por desinências e alternâncias. Trazendo para uma linguagem coloquial, o substantivo possui uma estrutura composta por radical combinado com afixos (prefixos e sufixos), desinências, dentre outros componentes, por exemplo, até outro radical. O importante para o presente estudo é a mutação da desinência, mecanismo que irá possibilitar a flexão do substantivo em gênero, número e grau. O termo "em geral" significa que há exceções, que serão expostas em momento oportuno.

1. Flexão de Gênero

Gênero é a propriedade que as palavras têm de indicar sexo real ou fictício dos seres. São dos gêneros: masculina e feminino.

Pode-se dividir os substantivos quanto à flexão de gênero em:

1.1 Biforme
Vamos apresentar pela ordem da figura acima, portanto, iniciando nos substantivos biformes, que como o próprio nome diz, bi–(duas) –fomes(formas), ou seja, possuem duas formas, sendo uma para o masculino e outra para o feminino. Abaixo é apresentando a formação do feminino, que abrangem grande parte dos substantivos biformes, segundo Bechara:
Tabela: Formação do feminino

Não se enquadram nos casos precedentes:
avô - avó                        capiau - capioa                     dom - dona
galo - galinho               grou - grua                              ilhéu - ilhoa
marajá - marani           pierrô - pierrete                     raja ou rajá - râni ou rani
rapaz - rapariga            rei - rainha                             réu - ré
silfo - sílfide                  sultão - sultana                      tabaréu - tabaroa

1.2 Uniforme
Significado da palavra uniforme é: uni–(um, uma) e –forme(forma), ou seja, os substantivos uniforme possuem uma única forma para cada gênero. 

1.2.1 Heterônimos
Os substantivos uniforme com palavras diferentes para um e outro sexo, que podem ser denominados como heterônimos, tanto para nomes de pessoas, como para nomes de animais, veja abaixo os exemplos:

1.2.1.1 Nomes de pessoas
cavaleiro - amazona
cavalheiro - dama 
marido - mulher
padrasto - madrasta

1.2.1.2 Nomes de animais
bode - cabra
carneiro - ovelha
cavalo - égua 
cão - cadela

1.2.2 Comuns de (ou a) dois gêneros
Há substantivo que têm uma só forma para os dois sexos:
estudante, consorte, mártir, ouvinte, vidente
Os nomes terminados em –ista e muitos terminados em –e são comuns de dois, por meio de artigo:
o capitalista - a capitalista
o dentista - a dentista
o doente - a doente
o imigrante - a imigrante
Também nomes próprios terminados em –i (antigamente ainda –y) são comuns tanto a homens como a mulheres:
Darci, Juraci

1.2.3 Sobrecomuns
São os nomes de um só gênero gramatical que se aplicam, indistintamente, a homens e mulheres:
o algoz, o carrasco, o cônjuge, a criança, o ídolo, a criatura, o ente, a vítima

1.2.4 Epicenos
Enquadram-se neste grupo os nomes de animais para cuja distinção de sexo empregamos as palavras macho e fêmea:
cobra macho, cobra fêmea
onça macho, onça fêmea
foca macho, foca fêmea
jacaré macho, jacaré fêmea
Ou pode-se distinguir na oração:
o macho da cobra
a fêmea do jacaré

2. Gênero estabelecido por palavra oculta
São masculinos os nomes de riso, mares, montes, ventos, lagos, pontos cardeais, meses, navios, por subentendermos estas denominações:
O (rio) Amazonas, o (oceano) Atlântico, o (vento) bóreas, o (lago) Ládoga
Por isso são normalmente femininos os nomes de cidades, ilhas:
A bela (cidade) Santa Cruz do Sul. 
Nas denominações de navios, depende do termo subentendido:
o (transatlântico) Marina.
De modo geral, os grandes transatlânticos são todos masculinos, em vista deste substantivo oculto, embora muitos tenham nomes femininos.



Direitos Autorais:
Copyright © Aldo Werle. Todos os direitos reservados.
Você pode copiar e redistribuir este material contanto que não o altere de nenhuma forma, que o conteúdo permaneça completo e inclua esta nota de direito e o link: www.aldowerle.blogspot.com

Fontes
Bechara, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. 38º edição. Rio de Janeiro, 2015.
Ferreira, Mauro. 360°: aprender e praticar gramática: parte I, volume único. FTD, São Paulo, 2015.
Mini dicionário Aurélio. 8º edição, 2010.
Imagens utilizadas: Direitos Autorias do Autor deste Blog. 

0 comentários :

Postar um comentário

Os comentários estão sujeitos à aprovação.